Morreu, no dia 20 de abril, o adolescente Gabriel Paiva, de 16 anos, que, segundo denúncias veiculadas na imprensa, foi espancado com um cabo de enxada por agentes da Polícia Militar. O enterro do rapaz ocorreu no dia 22 de abril no Cemitério Campo Grande, na Zona Sul da capital paulista.

Casos deste tipo envolvendo PMs são comuns em São Paulo e, na tentativa de manter uma aparência íntegra para a “opinião pública”, o comando da corporação afasta policiais, como ocorreu com os quatro envolvidos no crime, sem divulgar seus nomes. Porém, não se tratam de “policiais mal preparados”, pois este é exatamente o papel da polícia, reprimir os pobres. Em declaração a imprensa, o irmão de Gabriel, Roger Paiva, afirmou que os policiais militares que seriam os responsáveis pelo assassinato cruel têm a “fama de bater” nas pessoas no Jardim Ubirajara.

gabriel-paiva