Patrick Granja

Na noite de ontem, dia 30 de junho, cerca de 30 mil pessoas tomaram as ruas do Centro do Rio de Janeiro em um grande ato da Greve Geral contra o ataque aos direitos dos trabalhadores orquestrado pelo gerenciamento Temer e seus asseclas. A manifestação saiu da Igreja da Candelária e seguiu até a Central do Brasil.

No local, depois que já havia sido anunciado o final do ato, policiais infiltrados começaram a agredir manifestantes e jornalista atiçando as massas. Foi a senha para que PMs fardados começassem a atirar bombas de gás e tiros de bala de borracha contra o povo que protestava.

Manifestantes não se acovardaram e responderam à violência da polícia com bombas, morteiros, pedras e paus. No Campo de Santana, um grupo de 30 PMs ficou encurralado entre dois grandes grupos de manifestantes. O mesmo aconteceu na Uruguaiana, ao lado do prédio do DETRAN.

Barricadas foram erguidas em toda a rua Uruguaiana e a Avenida Rio Branco. A cada Greve Geral, a cada manifestação, se evidencia a revolta do povo brasileiro com o maior saque de direitos e garantias promovido por um gerenciamento de turno nas últimas décadas.