Em justa rebelião, moradores atacam ônibus durante confronto com a PM

Da Redação de AND

Denúncias veiculadas por moradores do Complexo do Alemão afirmam que o jovem Felipe Farias, de 16 anos, foi assassinado durante uma manifestação que pedia o fim da violência policial na comunidade na noite de quarta-feira, 26 de abril. O protesto foi realizado devido a morte de um garoto de 13 anos e também contra os assassinatos ocorridos no Alemão durante a última semana, como o jornal A Nova Democracia denunciou no vídeo Polícia mata, rouba e tortura durante o feriado no Complexo do Alemão, publicado no dia 23 de abril.

Revoltados com as torturas, assassinatos e arbitrariedades cometidas pela polícia sanguinária na região, os moradores bloquearam a Avenida Itaóca, no acesso à favela Nova Brasília, e enfrentaram a repressão policial, que lançou bombas e tiros de bala de borracha. Um ônibus foi destruído pelos manifestantes.

Em depoimento a um canal de TV, o fotojornalista Betinho Casas Novas relatou que “No momento em que o Felipe Farias foi atingido e estava sendo socorrido, os policiais começaram a jogar bombas de efeito moral e disparar balas de borracha para todos os lados”. Felipe foi baleado na cabeça com munição letal e encaminhado ao Hospital Salgado Filho, no Méier, mas, infelizmente, não resistiu.

O monopólio da imprensa, que tem legitimado e defendido as operações assassinas da PM, alegou que o rapaz foi atingido durante um “tiroteio ocorrido após o protesto” por uma “bala perdida”. Pelo menos cinco pessoas já foram mortas nos últimos dias no Complexo, cenas da guerra civil reacionária promovida atualmente pelo velho Estado contra o povo pobre.