andApós longo período enfrentando problemas técnicos, retomamos as atividades com o blog da redação do AND com a série de postagens sobre os 70 anos da vitória soviética contra o fascismo.

Mas antes de iniciar as publicações dessa importante série, publicaremos a postagem inaugural desse blog, realizada em 7 de janeiro de 2008.

Saudações de Nova Democracia!

Rio de Janeiro, 6 de maio de 2015.


As massas jamais foram ou serão passivas. Quem não confia no povo não pode pretender uma imprensa democrática, uma vez que o democrático é necessária e obrigatoriamente popular. Na realidade o nosso povo tem lutado como nunca. Nossas forças existem e a cada dia outros setores vêm engrossar as lutas do povo brasileiro. Essa é a tendência principal, esse é o novo, “puro, inteiro e verdadeiro “. 
O que o povo ordena é que vingue o melhor do seu pensamento na literatura, nas artes, na ciência, na filosofia. Nenhuma imprensa será verdadeiramente democrática se não tiver como sua característica principal o instrumento de luta, se não consegue estabelecer o vínculo mais estreito entre as massas e o periódico, porque é das lutas concretas que surge e se desenvolve o pensamento que norteia os caminhos do povo. (da linha editorial de A Nova Democracia)

É com grande satisfação que recorremos a mais esta ferramenta de comunicação com nossos leitores. O blog facilitará uma atualização mais dinâmica das informações e um maior contato com os leitores através dos comentários que podem ser feitos nas postagens.

Assim como nas formas eletrônicas, A Nova Democracia procura ser mais dinâmico em sua edição impressa, encurtando sua periodicidade. Tal mudança é uma necessidade para quem deseja acompanhar as lutas das massas populares do país e do mundo, que se dão em aceleração constante nos atuais tempos de crise do imperialismo e do Estado burocrático semifeudal brasileiro.

Este espaço servirá para ecoar ainda mais as denúncias dos movimentos sociais mais consequentes de nosso país e do exterior, em notas curtas assinadas pelos próprios movimentos ou comentários elaborados por nossos redatores.

Além disso, os editoriais e abordagens do monopólio dos meios de comunicação não escaparão de nossas críticas, que não precisarão mais esperar pela edição impressa para serem publicados.

Enfim, A Nova Democracia agora está mais perto dos nossos leitores e esperamos que os leitores também se aproximem mais do jornal.