MG: Lançamento do documentário ‘Ocupa Tudo: Escolas ocupadas no Paraná’

No dia 19/06, ocorrerá  o lançamento do novo documentário de Carlos Pronzato na Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais. O filme intitulado Ocupa tudo: Escolas ocupadas no Paraná trata das ocupações de escolas neste estado. A exibição do documentário será seguida por uma discussão sobre o tema e contará com a participação do diretor do filme, além de estudantes de escolas ocupadas da região. O Comitê de Apoio ao AND de Belo Horizonte estará presente e fara o registro do evento.

Saluzinho: A saga de um ‘forte’ contra o latifúndio

D. Aroeira, ao AND nº 190

“O heroísmo tem nos sertões, para todo sempre perdidas, tragédias espantosas” (Euclides da Cunha em ‘Os Sertões’).

“Poucos dias após as tropas do 10º Batalhão da PM de Montes Claros [MG], engrossadas por pistoleiros, sob o comandado e a soldo do famigerado Coronel Georgino Jorge de Souza invadir Cachoeirinha, no ano de 1967. No mesmo município de Varzelândia, na localidade de Campo Redondo, um camponês de meia idade, com o rosto marcado pelos dias de labuta ao sol e os cabelos já grisalhos entraria para a história dos sertões do Norte de Minas. Este camponês era Salustiano Gomes Ferreira, mais conhecido como Saluzinho. Entrincheirado numa gruta com apenas uma cabaça d’água (que logo se quebraria com os estilhaços de tiros), uma garrucha com alguma munição e um revólver 38 com apenas duas balas, Saluzinho resistiu durante cinco longos dias a uma verdadeira operação de guerra montada por tropas da PM e agentes do DOPS, que utilizavam metralhadoras, bombas e todo tipo de armas até então desconhecidas naqueles rincões. Não tardou para que os jornais de Montes Claros e por todo o país começassem a criar as mais estapafúrdias explicações para aquele ato de indiscutível bravura. Da noite para o dia, brotavam histórias sobre a existência de uma ‘célula comunista’, a implantação de um ‘foco de guerrilha’ e a expansão das ‘perigosas’ Ligas Camponesas na região.”

ler mais…

RJ: Movimento Classista em Defesa da Saúde do Povo faz agitação na Central do Brasil

Em 13 de junho de 2017, o Movimento Classista em Defesa da Saúde do Povo fez uma atividade agitação com panfletagem na Central do Brasil, Rio de Janeiro, com um manifesto intitulado ‘Resistir e defender os direitos dos trabalhadores!’. A reportagem de AND foi convidada para cobrir a atividade e registrou o depoimento de uma ativista do movimento. Confira abaixo o manifesto na íntegra.

ler mais…

Massacre de Caarapó: 1 ano de impunidade e resistência

E. Karaí

No dia 12 de junho de 2016, cerca de 300 Guarani e Kaiowá retomaram a área do tekoha Toro Paso (MS), onde incide a fazenda Yvu, cansados de esperar a demarcação. Logo, uma articulação dos latifundiários da região, junto ao sindicato rural e a polícia, planejou o covarde ataque do dia 14 de junho. De um lado, caminhonetes e tratores com pistoleiros uniformizados, armados com espingardas de grosso calibre; do outro, indígenas portando mbarakas.

ler mais…

Ianques se afundam em derrotas no Afeganistão

Emboscadas e ações dão 37 baixas no invasor

Derrotas sobre derrotas: fracasso ianque no Afeganistão. Foto: explosão de carro-bomba em Cabul, 31/5 (Shah Maral)

Atolado, o imperialismo ianque afunda-se em novas e profundas derrotas no Afeganistão. As massas afegãs lançam mão de ataques e ações armadas contra o invasor e o aparelho do Estado semicolonial afegão. Frente às derrotas, os generais e especialistas ianques pedem ao arquirreacionário presidente Trump mais tropas para combater a Resistência nacional.

O general do exército ianque John Nicholson afirmou que a guerra contra a Resistência nacional está “em paralisação”, e que para “mudar a maré da guerra” é necessário incrementar milhares de novas tropas no Afeganistão.

“O principal problema que enfrentamos é que, da forma como as coisas estão, a guerra não é vencível”, declarou Jack Keane, um general retirado do exército.

ler mais…

Homenagem da Liga dos Camponeses Pobres a Alípio de Freitas

A Comissão da Liga dos Camponeses Pobres (LCP), nos enviou a imagem deste quadro com que Alípio de Freitas foi presenteado, conferindo-lhe a distinção de Presidente de Honra de sua organização.

Compartilhamos esta singela e significativa homenagem com nossos leitores.

SP: Protesto contra reformas antipovo e repressão policial

Comitê de Apoio ao AND – São Paulo, Zona Oeste

No dia 31/05, dia nacional de “políticas públicas”, milhares de pessoas foram às ruas de São Paulo demonstrar sua justa revolta contra as medidas antipovo impostas pelo governo Temer e sua quadrilha, além, da violência contra a juventude periférica e, principalmente, contra moradores de rua da região da Cracolândia, realizada pelos agentes de repressão de Alckmin e Dória.

ler mais…

Faleceu Alípio de Freitas, histórico dirigente das Ligas Camponesas

Companheiro Alípio de Freitas: Presente na Luta!

Redação de AND

Faleceu, na noite de 12 de junho, Alípio de Freitas, incansável militante da causa da libertação dos povos.

Português de nascença, sua militância revolucionária o fez brasileiro. Enviado ao Maranhão como padre pela igreja católica, Alípio se ligou profundamente às massas pobres da periferia de São Luis. Já fora da igreja, se destacou como dirigente das Ligas Camponesas na década de 1960, chegando a ser seu secretário geral. Foi ainda responsável pelo jornal A Liga, órgão da luta camponesa. Com o Golpe militar-fascista de 1964, passa à clandestinidade e dirige-se a Cuba, onde planeja voltar ao país e dar prosseguimento à luta revolucionária. É preso em 1970 e passa quase dez anos no cárcere, enfrentando e resistindo às mais brutais torturas.

Membro do conselho editorial de A Nova Democracia, Alípio de Freitas sempre foi assíduo leitor e ativo colaborador. Mesmo havendo perdido completamente sua visão nos últimos anos, continuava zeloso ao desenvolvimento do jornal, ouvindo atentamente a leitura feita por colaboradores.

Recebeu da Liga dos Camponeses Pobres (LCP) a distinção de Presidente de Honra de sua organização. Alípio a recebeu com grande entusiasmo.

ler mais…

Companheiro Liversino Azevedo, presente na luta!


Reproduzimos nota da Liga dos Camponeses Pobres denunciando o assassinato do companheiro Liversino Azevedo, conhecido como Vitor, por pistoleiros em emboscada na cidade de Corumbiara. Ele foi baleado 6 vezes por dois homens em uma moto, enquanto chegava de uma festa com sua esposa, na Área Revolucionária Alzira Monteiro. Mais notícias na próxima edição de AND.


Na madrugada do dia 05 de junho, o companheiro Liversino Azevedo, conhecido por Vítor, faleceu no hospital municipal de Vilhena, depois de passar por uma cirurgia de emergência. Na madrugada do dia 03 para o dia 04, ele foi alvejado por 6 tiros, disparados por dois homens em uma moto que o atacaram em uma emboscada, quando ele chegava com sua esposa em casa, na área Alzira Monteiro, parte da antiga fazenda Santa Elina, em Corumbiara, retomada pelos camponeses em 2010. Eles vinham de uma festa na casa de um vizinho.

ler mais…

Chacina de Pau D’Arco: ‘O povo está fazendo uma Revolução Agrária!’

Redação de AND

Durante a visita da reportagem de AND à região de Pau D’Arco, no Pará, para apurar a chacina de camponeses ocorrida em 24 de maio, colhemos uma série de relatos de moradores da região.

Entre eles, conversamos com um camponês e uma camponesa que denunciaram crimes cometidos pelo latifúndio em numa área em Santana do Araguaia. Os depoimentos transcritos aqui são parte da  Reportagem Especial do jornal A Nova Democracia sobre a chacina de Pau D’Arco.

ler mais…

Página 8 de 85« Primeira...678910...203040...Última »

Edição atual

Matérias Especiais de AND Sobre Pau D’Arco

50 anos do Levante Camponês de Naxalbari (Índia)

Assine

Edições Seara Vermelha