Com informações de do Comitê de Apoio ao AND de Belo Horizonte                                                                                  

Fotos de Eduardo Magrão/AND                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                                    

Em Belo Horizonte, milhares de pessoas tomaram as ruas do Centro durante a Greve Geral do dia 30/06 em uma grande manifestação contra as “reformas” trabalhista e previdenciária do gerenciamento Temer. O ato ocorreu às 9h da manhã no Centro da capital mineira e contou com a participação de várias categorias que paralisaram suas atividades. 

Um bloco combativo e classista composto pela Liga Operária, Luta Popular e Sindical (LPS), Sindicato dos Trabalhadores da Construção de Belo Horizonte e Região (Marreta), Movimento Classista dos Trabalhadores em Educação (Moclate), Sindicato dos Correios, Sindicato dos Empregados em Empresas de Serviços de Informática e Similares do Estado de Minas Gerais (Sindados), Movimento Estudantil Popular Revolucionário (MEPR), UV- LJR, dentre outros movimentos classistas, interviu no ato erguendo alto a consigna contra as “reformas” de Temer e sua quadrilha.

À frente do bloco combativo, uma grande faixa exigindo a Liberdade incondicional dos presos políticos da Índia foi estendida em mostra do internacionalismo proletário.

A Liga dos Camponeses Pobres(LCP) do Pará e Tocantins, também marcou presença no ato através de uma liderança que fez uso da palavra em vários carros de som durante a manifestação (dentre eles Marreta, LPS e no carro de som da CUT), denunciando a covarde Chacina de Pau D’arco e conclamando o apoio à luta camponesa de todos operários, trabalhadores e sindicalistas honestos e comprometidos com a luta do povo.

Já no caminhão da CTB, a LCP teve sua fala suprimida pelos parlamentares que se acotovelavam para proferirem seus mais crassos discursos demagógicos – apesar de ter sido inscrito, no exato momento da fala da liderança camponesa, com o público parado na Praça Sete, os responsáveis pelo carro de som resolveram iniciar o deslocamento deste para a Assembleia Legislativa de Minas Gerais. Assim, a liderança camponesa desceu do carro de som, tendo seu direito à fala impedido.

A manifestação percorreu as principais ruas do Centro de Belo Horizonte e se encerrou na Praça Sete. Em denúncia às falcatruas do governo junto às centrais governistas e pelegas, a Liga Operária lançou um manifesto, repercutido recentemente em nosso Blog e que pode também ser lido no site: www.ligaoperaria.org.br

Paralisações e Barricadas

O dia 30/06 foi marcado pelas paralisações, manifestações e bloqueio de rodovias com barricadas em chamas nas avenidas de Belo Horizonte. Os metroviários de BH se mobilizaram interrompendo a circulação dos trens por 24h na capital mineira. Aderiram também à Greve Geral os professores e funcionários das escolas estaduais e municipais, servidores da saúde, dos correios e os bancários, que mantiveram grande parte das agências sem funcionamento.

Pela manhã, houve bloqueios de rodovias em diversas regiões da cidade. Manifestantes colocaram fogo em pneus na Av. Cristiano Machado e no bairro Palmares, na Região Nordeste da cidade. Protesto com fogo em pneus também foi realizado na Avenida Padre Pedro Pinto, em frente à Estação Venda Nova. E, em Contagem, na (região metropolitana), manifestantes bloquearam a Avenida Cardeal Eugênio Pacelli, no bairro Cidade Industrial.

Bloco Combativo toma parte da Greve Geral e faz vigorosa intervenção

 

Trabalhadores dos Correios se mobilizam na Greve geral em repúdio às contrarreformas de Temer e sua quadrilha.

 

 

Carro de som da LPS em manifestação da Greve Geral de 30/06.