Guerra civil reacionária: camponeses emboscados em Capitão Enéias (MG)


Publicamos a seguir nota produzida pela Redação de AND, publicada na edição impressa nº 187, e em anexo reproduzimos o comunicado da Liga dos Camponeses Pobres (LCP) do Norte de Minas e Sul da Bahia sobre o assunto.


Na manhã de 09/04, em Capitão Enéias (MG), cerca de 300 camponeses do Acampamento Alvimar Ribeiro, vinculado ao MST, foram emboscados e atacados por pistoleiros fortemente armados, quando se dirigiam a uma reunião na sede da fazenda Norte América, reivindicada pelos acampados.

Conforme os camponeses, o ataque se iniciou ao se aproximarem da entrada da fazenda, contando com a participação de Leonardo Andrade, o dono do latifúndio, e de 10 pistoleiros, que efetuaram disparos contra homens e mulheres – incluindo mulheres grávidas –, crianças e idosos. A ação criminosa resultou em 7 feridos, dos quais 3 foram hospitalizados: Fabrício Alvins Lima, de 31 anos, baleado na barriga, Vildomar Oliveira Gomes, de 31, baleado no pescoço, e Géssica Thais Gonçalves Freitas, de 24, baleada na perna. Além disso, uma criança de 10 anos sofreu com um tiro de raspão no rosto. Nenhum dos feridos corre o risco de morte.

A Polícia Militar prendeu apenas 2 pistoleiros e recolheu 2 revólveres, uma escopeta e munição. Os demais participantes e o mandante saíram livres e impunes.

A fazenda Norte América, de 3 mil hectares, foi ocupada por 150 famílias no dia 16/01. Atualmente, 650 famílias vivem e trabalham no acampamento, que já conta com plantações.

O latifúndio seria propriedade do grupo Soebras, pertencente à família Andrade, sendo administrada por Leonardo Andrade, que é acusado judicialmente por estelionato, falsidade ideológica e desvio e apropriação de recursos públicos. O grupo Soebras é investigado por desvio de dinheiro público e lavagem de dinheiro no município de Monte Claros.


Montes Claros, 11 de Abril

Repúdio ao covarde ataque sofrido pelas famílias camponesas do acampamento Alvimar Ribeiro em Capitão Enéias

Denunciamos e repudiamos veementemente o covarde ataque de pistoleiros, chefiados por Léo Andrade contra as famílias camponesas do Acampamento Alvimar Ribeiro em Capitão Enéas na manhã do dia 09 de abril.

As famílias, organizadas pelo MST se dirigiam para uma reunião na sede da fazenda, por volta de 7h30 da manhã, chamada pelo gerente, quando foram surpreendidas por vários pistoleiros armados. Os feridos relataram que o próprio latifundiário Leonardo Andrade estava dirigindo sua Hilux enquanto os pistoleiros atiravam continuamente de cima da carroceria.

Entre os feridos estão Géssica Thais Gonçalves Freitas, de 24 anos, que levou um tiro na perna, Fabrício Alvins Lima, 31 anos, baleado na barriga,  Vildomar Oliveira Gomes, também de 31 anos, baleado no pescoço. Várias outras pessoas foram feridas com tiros de raspão, entre elas uma criança de dez anos, ferida no rosto.

Segundo relatos dos próprios camponeses que estavam na hora do ataque, “O administrador da fazenda insistiu por uma reunião e nós acabamos aceitando. Ao chegar à cancela fomos recebidos a bala por cerca de dez jagunços (sic). Eles atiraram sem dó e nem piedade. Tinha crianças, idosos, grávidas. Nós vimos o dono da fazenda no lugar. Pedimos pra não atirar. Abaixamos pra não sermos baleados, foi uma covardia”

A fazenda Norte América, de 3 mil hectares foi ocupada em janeiro deste ano e pertence ao grupo Soebras, da família Andrade. Esta é uma família tradicional de latifundiários na região, com grande influência política e que também possui várias propriedades no Pará, onde praticam desde o cárcere privado de seus trabalhadores a outros crimes de sangue contra os camponeses e esta prática de ameaças, ataques e uso de bando armado de pistoleiros é seu modus operandi de sempre, que agora passaram a adotar à luz do dia.

Leonardo Andrade ocupava o cargo de secretário de Desenvolvimento Sustentável, Meio Ambiente e Agricultura na prefeitura de Montes Claros, durante o mandato de Ruy Muniz (2012 – 2016) e também foi preso durante as investigações sobre desvio de dinheiro público federal e do município.

Condenamos o latifúndio e seus sequazes por este covarde e brutal ataque contra as famílias camponesas que estão lutando para viver e produzir em terras que até então só serviam à especulação e lavagem de dinheiro.

Manifestamos nossa total solidariedade e apoio às famílias para que continuem sua luta para viver e trabalhar sobre estas terras. Responsabilizamos o governo Temer/PMDB/PSDB e o governo de Minas Pimentel/PT pelo abandono completo de qualquer política de Reforma Agrária, pela impunidade dos crimes do latifúndio contra o povo pobre, pela falência do INCRA (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) e por abandonar à sanha dos latifundiários assassinos, as famílias camponesas que lutam para viver e trabalhar com dignidade!

Todo apoio às famílias do Acampamento Alvimar Ribeiro!

Viva a revolução Agrária! Morte ao Latifúndio!

Liga dos Camponeses Pobres do Norte de Minas e Sul da Bahia

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado.