go

Debate reafirmou o caminho do boicote ativo às eleições corruptas.

No dia 28 de setembro o Comitê de Boicote às Eleições, composto pelo Movimento Estudantil Popular Revolucionário (MEPR) e Movimento Classista dos Trabalhadores em Educação (Moclate) organizou dois debates na Universidade Federal de Goiás (o primeiro no Instituto de Ciências Biológicas, durante a tarde e o outro a noite na Faculdade de Educação), chamando o povo a não votar e boicotar a farsa eleitoral do próximo domingo, 02 de outubro.

A convite do Comitê falou o professor Fausto Arruda, um dos conselheiros do Jornal A Nova Democracia. Além deste, estiveram na mesa um estudante representante da Rede Estudantil Classista e Combativa (RECC) e um operário urbanitário da companhia de água e esgoto de Goiás, representando o movimento pelo voto nulo.

A presença de estudantes secundaristas e universitários, professores e trabalhadores de outras categorias para verem o evento que foi divulgado com várias panfletagens, cartazes e agitações em restaurantes universitários e portas de escolas demonstram o sucesso do evento.

No final do encontro os presentes decidiram por consenso manter as atividades no segundo turno, a se iniciar por uma grande panfletagem na Praça do Bandeirante (principal cruzamento de Goiânia) e marcaram atividades para o dia da eleição.

A panfletagem no centro foi realizada principalmente por estudantes com faixas, bandeiras e megafone. Foram distribuídos 5.000 panfletos para os usuários do transporte coletivo e do Eixo Anhanguera, camelôs, transeuntes e comerciários. A receptividade do povo aos panfletos era enorme: mesmo que de início não quisessem pegar o panfleto acreditando ser de algum candidato, quando ouviam com atenção a agitação logo voltaram para pedir o panfleto.

Caso haja segundo turno nas eleições municipais, as atividades do Comitê em conjunto com as outras organizações devem continuar e ampliar-se.