A carne é fraca, o latifúndio é “forte”!

 


Reproduzimos pronunciamento da Comissão Nacional da Liga dos Camponeses Pobres sobre o escândalo envolvendo o latifúndio brasileiro (“agronegócio”) quanto à produção e comercialização de carne podre e estragada.


A carne é fraca, o latifúndio é “forte”!

(Mas um gigante com pés de barro que vai ser varrido pela Revolução Agrária!)

Temer saboreando uma picanha... argentina.

Temer saboreando uma picanha… argentina.

A carne é fraca mesmo! Forte é a semi-feudalidade deste nosso capitalismo burocrático podre, que montou uma verdadeira operação de guerra para abafar o impacto desta operação da Policia Federal contra Frigoríficos e fiscais do Ministério da Agricultura, flagrados nos crimes de incluir carnes impróprias em embutidos além da quantidade permitida e divulgada, adulterar carnes em processo de degradação com ácido ascórbico para que a aparência das mesmas fosse de carne fresca, corromper fiscais e financiar políticos (PT, PMDB e PP).

O Ministro da Agricultura, latifundiário, atacou a Polícia Federal. Michel Temer correu para acalmar os compradores estrangeiros. E as televisões passaram a produzir dezenas de matérias para tentar qualificar o episódio como um fato isolado dentro de um sistema eficiente.

E a crise geral faz a canalha que gerencia o país meter os pés pelas mãos, tentando impedir a queda das ações destes grandes frigoríficos e um possível boicote às importações da carne do latifúndio brasileiro. Divulgado o grampo em que chamava um dos fiscais acusado de chefiar a quadrilha de “grande chefe”, Osmar Serraglio, ministro da justiça indicado pela bancada ruralista, cuja eleição foi financiada principalmente pela Friboi, ficou na muda. Na tentativa desesperada de tranquilizar os estrangeiros, dando mostras de se lixar para a população brasileira, Temer afirmou que, dos 21 frigoríficos investigados, somente 6 haviam exportado nos últimos 60 dias. Mas o discurso do presidente imoral, tão podre como a mercadoria em questão, proferido diante dos importadores, passou na televisão para milhões de brasileiros, que se perguntaram: quer dizer então que nós, brasileiros, podemos comer carne estragada? E continuando sua ópera bufa, Temer vai com os estrangeiros a uma churrascaria em Brasília, onde 80% da carne servida é importada da Argentina, do Chile e do Uruguai. Cômico, se não fosse trágico!

Read More

LCP e MFP somam-se à defesa do Presidente Gonzalo e Dr. Saibaba, no Norte de Minas

gonz

Dirigente camponesa faz exposição sobre a vida e obra do grande chefe comunista e chefatura do PCP Abimael Guzmán, o Presidente Gonzalo. Manga, Norte de Minas Gerais, durante encontro do Movimento Feminino Popular (março de 2017).

 

saiba

Camponeses organizados pela Liga dos Camponeses Pobres exigem a libertação imediata do professor GN Saibaba, condenado criminosamente à prisão perpétua pela reação indiana. Manga, Norte de Minas Gerais, durante encontro do Movimento Feminino Popular (março de 2017).

MG: Vigoroso encontro do MFP celebra o Dia Internacional da Mulher Proletária

mg2


Nota do MFP – Movimento Feminino Popular (Núcleo Sandra Lima) sobre vigoroso encontro realizado em Manga, no Norte de Minas Gerais.


mg5

Ocorreu no último dia 12/03, como parte das celebrações do Dia Internacional da Mulher Proletária, um vigoroso encontro do Movimento Feminino Popular (MFP) – núcleo Sandra Lima – na cidade de Manga, Norte de Minas Gerais. As atividades foram realizadas em memória e honra da grande dirigente e fundadora do MFP Sandra Lima, falecida em julho do ano passado e da companheira Elzita Rodrigues, fundadora do MFP e da Liga dos Camponeses Pobres (LCP) na região, falecida em 2011. O Encontro foi precedido de reuniões preparatórias, ressaltando a importância de conhecer a verdadeira história do 8 de Março, quando celebramos o centenário desta data memorável do proletariado internacional como parte da Grande Revolução Bolchevique de 1917. Muitas companheiras ficaram impressionadas com a falsificação histórica desta data promovida pelo imperialismo e redobraram sua decisão em levar a todas as mulheres do povo a verdade sobre este importante episódio, que é parte da história de luta da nossa classe.

Read More

RO: Estado ameaça usar o Exército para despejar famílias camponesas

Produção camponesa no Canaã, RO

Produção camponesa no Canaã, RO


Reproduzimos gravíssima denúncia da Liga dos Camponeses Pobres (LCP) de Rondônia e Amazônia Ocidental da ameaça de despejo da Área camponesa Canaã (100 famílias) pelo Exército do velho Estado brasileiro. Outras duas Áreas camponesas como Raio do Sol e Renato Nathan 2 também estão ameaçadas por ficarem nos arredores.

Mais informações e uma denúncia mais completa serão publicadas em AND nº 186.

Na reunião de camponeses com o Incra, em Porto Velho, um camponês da Associação do Canaã (Asprocan) disse que só sairia de sua terra morto e o delegado agrário respondeu de pronto e agressivamente: “Pois então o senhor sairá morto, porque o exército fará o despejo.”


Além de denunciar os crimes do latifúndio e seus bandos armados e levantar apoio aos camponeses em luta e à LCP de Rondônia, o Ato Político realizado em Jaru, no último dia 10 de fevereiro, também elevou a luta conjunta dos camponeses por seus direitos. Como resultado do Ato, camponeses de mais de 30 acampamentos e áreas fizeram uma série de reuniões com representantes do Incra e Terra Legal, em Jaru e Porto Velho.

Numa reunião na capital, no último dia 09 de março, o superintendente do Incra Cletho Muniz de Brito afirmou que o Exército Brasileiro despejaria a Área Canaã (mais de 100 famílias), em cumprimento de uma sentença de reintegração de posse expedida por um colegiado em Brasília. E passou a acusar o Terra Legal por não se manifestar – fato típico dos representantes do velho Estado para fugir de suas responsabilidades e enrolar o povo.

Read More

Galícia: Intensa e produtiva atividade da LCP

liga coruña 4

Traduzido de dazibaorojo08.blogspot.com

Uma delegação dos companheiros da Liga dos Camponeses Pobres do Brasil esteve na Galícia (Estado espanhol), no marco de um giro pela Europa, desenvolvendo uma intensa e frutífera atividade em diversas cidades galegas.

LIGA coruñaNa cidade de Vigo, 21 de fevereiro, os companheiros da LCP, após estabelecerem um fraternal contato com os companheiros galegos, deram uma palestra no Centro Social A Revolta dos Berbés, na qual expuseram a situação das lutas camponesas no Brasil e o trabalho revolucionário desenvolvido pela Liga.

Read More

LCP e MFP em giro pela Europa

16730588_1728508027461825_8471489115260771337_n Redação de AND

Ativistas da Liga dos Camponeses Pobres (LCP) e do Movimento Feminino Popular (MFP) estão promovendo um giro por vários países da Europa neste mês de fevereiro. As informações são do blog internacionalista Dazibao Rojo.

Veranstaltungen_Brasilien_BRDOs ativistas de ambos os movimentos exporão a situação política no Brasil e no mundo, a luta dos camponeses brasileiros pela conquista da terra e pela destruição do latifúndio e a luta das mulheres para alcançar os mais avançados postos nas frentes de luta do povo brasileiro.

No dia 21 de fevereiro, representante da LCP esteve na Galícia (Estado espanhol) e fez sua exposição sob o tema “A Luta pela Terra no Brasil”. Ainda neste mês, nos dias 23, 24 e 25, representantes da LCP e MFP passarão pela Alemanha nas cidades de Hamburgo, Berlim e Bremen, respectivamente. Em março, nos dias 1 e 2, passarão ainda pelas cidades alemãs de Colônia e Marz, onde, segundo a programação publicada no blog internacionalista Dazibao Rojo, eles encerrarão o giro.

RO: Ameaças e agressões da polícia militar de Confúcio e Ênedy


Reproduzimos dois comunicados emitidos pela Liga dos Camponeses Pobres (LCP) de Rondônia e Amazônia Ocidental denunciando as agressões covardes e ameaças de despejo da PM de Confúcio Moura e Ênedy Dias de Araújo contra os camponeses. Mais notícias serão veiculados neste mesmo Blog da Redação ou na edição nº 185 de AND.


Polícia de Confúcio e Ênedy agride jovem da Área Monte Verde

Camponeses da Área Monte Verde denunciam mais uma ação violenta da polícia militar. No dia 13 de fevereiro de 2017, policiais de um grupamento especial da PM, em 2 viaturas e uma caminhonete Hilux branca sem identificação, entraram na área, alegando estarem fazendo um levantamento pro Incra. Eles humilharam uma família e agrediram um jovem menor de idade.

Os policiais passaram em alguns lotes fazendo várias perguntas aos camponeses, como o que eles têm de produções, construções, móveis de casa, se a água é de poço ou de mina, se têm energia, etc. Trabalhadores informaram que os policiais estavam anotando em papéis timbrados do Incra. No 4º lote que eles abordaram, de um camponês que estava na cidade, os policiais já chegaram de forma agressiva. Perguntaram há quanto tempo estavam na área, a camponesa disse que fazia pouco mais de 1 ano. O filho corrigiu sua mãe, falando que fazia 2 anos e foi humilhado por um policial, que disse: “Deixa de ser mentiroso, há 2 anos eu vim aqui e era tudo mata!” Quando o estudante quis explicar, o policial continuou com as agressões: “Cala boca, seu merda!” O jovem, que estava com a mochila nas costas pra ir pra escola, foi se defender, perguntando por que o policial o estava humilhando daquela forma e 5 policiais foram para cima dele, deram um tapa no pescoço, jogaram-no no chão, pisaram nele, algemaram-no, colocaram-no no camburão. Reviraram a mochila do rapaz, pegaram seu celular e dinheiro, levaram-no para a delegacia de Monte Negro, acompanhado de sua mãe. No registro da operação criminosa, os policiais disseram que o jovem os desacataram e que eles foram obrigados a usar a força.

Read More

RO: Vigorosa manifestação denuncia os crimes do latifúndio em Jaru

lcpro


Reproduzimos nota emitida pelo Centro Brasileiro de Solidariedade aos Povos (Cebraspo) por ocasião da manifestação realizada em Jaru, Rondônia – conforme noticiada em AND nº 184 e neste mesmo Blog da Redação (RO: Ato Público em Jaru).


O CEBRASPO saúda todas as entidades, movimentos e organizações democráticas e revolucionárias que atenderam nossa convocação em conjunto com a ABRAPO – Associação Brasileira de Advogados do Povo,  e participaram do Ato no Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Jaru e da manifestação que percorreu as ruas da cidade, na última sexta feira dia 10 de fevereiro.

Nossa saudação se estende especialmente  aos bravos camponeses e suas famílias pela disposição demonstrada de seguir organizando um número cada vez maior de ocupações e de tomadas de terras do latifúndio. As lideranças que participaram da manifestação e se deslocaram de diversas áreas e localidades do Estado de Rondônia, também realizaram juntamente com a LCP- Liga dos Camponeses Pobres, uma reunião para apresentar uma pauta de exigências ao governo de Rondônia e ao Incra, com prazo para cumprimento. Sob pena de uma mobilização ainda maior, com paralisação de estradas, novas ocupações e ações diversas para exigir seu sagrado direito a terra.

Mais informações em nosso blog: https://cebraspo.blogspot.com.br/2017/02/vigorosa-manifestacao-denuncia-os.html

– Barrar os crimes do latifúndio e os assassinatos no campo.

– Barrar os sequestros, torturas e assassinatos de camponeses.

– Barrar a criminalização da luta camponesa

– Viva a luta operaria e camponesa.

MG: Camponeses tomam as ruas contra a “reforma” da Previdência em Montes Claros

norteminas3

Enviado por apoiadores de AND no Norte de Minas Gerais

Camponeses de todo o Norte de Minas, realizaram uma grande manifestação em repúdio à contrarreforma da previdência (PEC 287) que, dentre os seus ataques aos direitos do povo, persegue o fim do direito à aposentadoria para os trabalhadores do campo.

Cerca de 5.000 trabalhadores seguiram em manifestação, bloqueando as ruas do centro da cidade até a sede do INSS, onde realizaram um ato público de repudio às medidas anti-povo e vende-pátria do governo Temer/ PMDB. Dezenas de sindicatos do Norte de Minas, convocados pela Fetaemg – Federação dos Trabalhadores na Agricultura de Minas Gerais marcaram presença e denunciaram os pacotaços do gerenciamento ilegítimo de Temer para favorecer o latifúndio, a grande burguesia, os banqueiros, empreiteiras e interesses dos monopólios transnacionais.

norteminas2A LCP – Liga dos Camponeses Pobres do Norte de Minas e Sul da Bahia marcou presença no ato com suas bandeiras vermelhas; seus ativistas levantaram uma faixa com os dizeres: “Contra a crise e os pacotaços: Greve Geral!” e distribuíram centenas de panfletos apontando o caminho da Revolução Agrária de tomar todas as terras do latifúndio!

A criminosa PEC 287, sob o pretexto de combater um inexistente “déficit” da previdência, impõe que os camponeses passem a contribuir para a previdência social não apenas através dos impostos que incidem sobre a comercialização de sua produção – como ocorre hoje – mas, por meio do pagamento de um carnê mensal por, pelo menos, 25 anos. Tal medida, na prática, impedirá que milhares de camponeses possam se aposentar, causando o aumento da miséria no campo e a quebradeira generalizada das pequenas e médias cidades por todo o país.

norteminasSegundo o boletim da LCP: “Estes pacotaços pretendem tirar dinheiro dos pobres para pagar a roubalheira e a corrupção dos ricos, para tentar salvar o capitalismo burocrático no Brasil e o imperialismo no mundo, desta crise colossal que só pode ser resolvida com revolução. Tudo isso com o prosseguimento de muita repressão e violência contra o povo em luta, especialmente contra o movimento camponês, quilombola e indígena. Para garantir os interesses do latifúndio, repartir e vender a preço de banana do que resta desse nosso Brasil tão roubado e explorado.”

Abaixo o governo vende-pátria e anti-povo de Temer/PMDB!

Contra a crise: tomar todas as terras do latifúndio!

 Viva a Revolução Democrática, agrária e anti-imperialista!