image

Comitê de Apoio ao AND – Salvador e Região Metropolitana

Moradores do Centro histórico de Salvador e organizações de luta pela moradia vêm travando intensa luta contra os criminosos ataques ao direito de moradia do “PL (302/2016)” que visa expulsar milhares de famílias que fincaram raízes no centro, vivem, trabalham e são responsáveis por criarem e promoverem a resistência da rica cultura local.

O “Programa Revitalizar”, como está sendo chamada o “PL 302/2016”, lançado em dezembro de 2016 pelo gestor de turno Antônio Carlos Magalhães Neto/DEM, que em aparência com o pomposo discurso diz “promover a restauração e recuperação de imóveis do Centro Histórico e Centro Antigo” na prática é mais uma politica antipopular que serve aos interesses da especulação imobiliária e do turismo predatório. O perverso Programa de ACM Neto afirma que os imóveis se encontram em estado de “abandono” ou “subutilização”, ignorando as milhares de famílias que neles vivem e trabalham.

Estes imóveis cumprem a sua função social por mais que tenham um aspecto que não agrade ao turista. A “PL” que está para ser aprovada, incentiva a desapropriação e expulsão de famílias de baixa renda que moram nesses imóveis.

image (1)A degradação que de fato existe, é acima de tudo culpa dos gerentes de turno da cidade de Salvador que olham para o Centro Histórico apenas naquilo que podem tirar proveito e lucro, ignorando o povo que ali vive. Suas pomposas propagandas no monopólio de imprensa, vendendo a “capital do turismo”, escondem o que os trajetos turísticos não evidenciam, todo o sofrimento que o povo do centro que é obrigado a viver em condições precárias devido completa negligência dos gestores de turno. Esses políticos que aparecem apenas em eleições para tapear o povo, nunca viabilizaram uma politica pública que atendesse as necessidades dos moradores. O descaso com as construções e precariedade das ruas, o turismo sexual, as drogas e violência, todos esses problemas não só são ignorados como parecem ser incentivados, para criar a desvalorização dos imóveis na localidade e poder, com isso, desapropriar famílias à baixo ou nenhum custo, uma vez que muitos moradores são ocupantes e inquilinos.

image (2)De forma arbitrária, revelando o caráter antipovo da “democracia” burguesa, foram feitas audiências públicas às escuras, sem conhecimento da população e de prontidão a votação da “PL” foi marcada para o dia 26/04 na Câmera de Vereadores, em estado de emergência.

Essa é a grave situação denunciada por moradores da região do Centro histórico da Bahia, movimentos populares de luta por moradia, e registrada pelo Comitê de Apoio ao jornal A Nova Democracia de Salvador e Região Metropolitana.

No dia 26/04 foi promovido um vigoroso protesto contra o criminoso projeto de ACM Neto/DEM.

Entoando palavras de ordem contra os ataques ao direito de moradia, o ato ocupou a frente da Câmera de Vereadores, onde estava sendo aprovada a “PL 302/2016”. Tomaram parte da manifestação movimentos de luta pela moradia que exigiram o justo direito do povo à moradia.

Tikão, coordenador geral do Movimento em Defesa da Moradia e do Trabalho, morador do centro antigo declarou a nossa imprensa:

“O que a gente não aceita é a exclusão das famílias que construíram sua vida no centro antigo. Então aqui esá organizado moradores, associação do centro antigo, movimento de luta pela moradia, para exigir a suspensão da votação desse projeto que é uma pl que não foi discutida com a população.”

Durante a cobertura da manifestação o Comitê de Apoio ao AND pôde constatar a ausência de serviços básicos para o povo na região, e de estímulo ao comércio da localidade.

Duas moradoras do centro histórico, muitas entre tantas guerreiras do povo brasileiro, donas Neuma e Maria de Lurdes, em entrevista para à Imprensa Popular declararam, respectivamente cada:

“Eles (politiqueiros) só lembra de nós pobres em época de eleição, depois da eleição esquecem da gente. Nós queremos trabalho e moradia.”

“Nós precisamos de moradia.Não só lembrem das pessoas em tempo de eleição. Eleição é de 4 em 4 anos. Eleição eu não vou votar neles, pra eles nenhum. Porque eles não dão satisfação para o povo, não dão emprego, as pessoas passando fome, tem um monte de família passando fome nas calçadas, dormindo na rua. “

O programa da prefeitura não especifica o que será feito com o dinheiro da venda dos imóveis desapropriados ou onde será investido. A verdade é que boa coisa não podemos esperar de um dos maiores beneficiados no Caixa 2 da Odebrecht, o vulgo “anão”. O ditado “a mentira tem perna curta” vem a calhar e o “melhor prefeito do Brasil” cada vez mais não consegue sustentar suas bravatas e políticas de maquiagem para turista aplaudir.